Blog novo, de novo

9 09 2010

Bate-pronto: http://arbuladas.wordpress.com

Abraços!

Anúncios




Conversas de redação…

22 07 2010

“Gente, olha! O G1 tá chamando aquela moça de NAMORADA do Bruno. Até ontem era amante, não?”

“Engraçado que a NAMORADA/AMANTE/FICANTE/PEGUETE/QUALQUER COISA do Bruno tá dando entrevista na Ana Maria Braga, né?”

“É, entre uma receita e outra, um caso de assassinato”

“Quem precisa de Fantástico quando se tem Ana Maria Braga”

“Não seria legal se, do nada, o filho do Cerezo – aquela gostosa – aparecesse no caso e tivesse um caso com o goleiro?”

Conforme visto numa mesa aí da MediaRisk…





Citibank demite funcionária por ela ser “gostosa demais”

8 06 2010

Debrahlee Lorenzana, demitida por ser toda boa

Uma das milhares de agências do Citibank em Nova York – cidade esta que, aliás, só tem banco – demitiu a funcionária Debrahlee Lorenzana, segundo declarações da própria, “por ela ser gostosa demais”. Segundo a atual desempregada, a gerência do banco usou de justificativa o fato de seu corpo ser curvilíneo demais, o que distraía os funcionários da ala masculina.

Em um irônico contraste, a ala masculina daqui da redação reza para que os cheques de nosso pagamento sempre sejam do Citibank, por razões similares que não causam demissão…

Desnecessário dizer que a merda bateu no ventilador, e Lorenzana agora move uma ação contra a instituição onde outrora se encontrava empregada…gozado…engraçado, isso me soa tão familiar. Daqui a pouco ela entra no “Vai Dar Namoro”…

Enfim, se você quer atestar a razão dos bancários novaiorquinos (nota lateral: eu ODEIO a Reforma Ortográfica, nunca sei se estou escrevendo certo e quero que o Lula MORRA por inventá-la!), veja na galeria abaixo algumas fotos da moçoila…

Dica da @carolzara, via Twitter

[[UPDATE]] O Léo achou um vídeo dela num jornal, com um cara do Citibank tentando justificar o ato da demissão: veja aqui





R.I.P Gary Coleman / 1968-2010

28 05 2010

Foi confirmada, agora há pouco, pelo TMZ, a morte do ator norte-americano Gary Coleman. Penso eu que apenas os mais velhos se lembrarão dele: a fama lhe veio através de sua interpretação do personagem Arnold Jackson, na série de comédia estadunidense Diff’rent Strokes (Arnold, ocasionalmente exibido pelo SBT aqui no Brasil). O ator se encontrava internado em um hospital no Canadá com múltiplas lesões corporões não declaradas, embora a causa, segundo o TMZ, seja noticiada como trauma hemorrágico cerebral resultante de uma queda sofrida pelo ator, na qual ele bateu fortemente a cabeça.

Só vim a conhecer Gary Coleman em tempos recentes de minha vida, através, mais uma vez, do SBT. Nunca fui lá muito fã de seriados, mas sempre achei graça no bordão “Que papo é esse, Willis?” – amplamente repetido pelo ator, cujo personagem era uma criança adepta da malandragem infantil, pobre, que, junto do irmão mais velho, vai morar na casa de um rico engenheiro após a mãe dos meninos, empregada doméstica do homem, falecer.

Uma coisa leva à outra e minha curiosidade me levou a pesquisar um pouco sobre o que aconteceu com os atores da série após o fim dela, no meio da década de 1980. Descobri que Gary Coleman era o mais bem sucedido de todos. Apesar de nunca ter conseguido repetir o sucesso obtido com “Arnold Jackson”, Coleman ainda fazia aparições especiais em diversas mídias – outros seriados, filmes e também videogames. Já foi segurança de boate e candidato a cargos governamentais – perdeu todos. Morreu numa injusta eventualidade.

Explico: Gary Coleman podia estar velho, não ter mais aquele ar de criança, apesar do tamanho ser exatamente o mesmo. Mas ele ainda era vívido, participava e sempre que seu nome era citado nas colunas de imprensa, raramente era “mais um na festa”. Coleman, por onde passava, chamava atenção, atraía olhares e comentários – bons e ruins.

Era um cara que ainda tinha muita lenha pra queimar…

Sua amiga Dana Plato (a Kimberly em “Arnold”) morreu depois de destruir muito de sua vida. Foi usuária compulsiva de drogas, consumia barbitúricos (rumores, até, dizem que ela já o fazia durante a exibição da série), atriz pornô, mãe solteira – praticamente tudo de ruim que poderia acontecer a uma mulher, rolou com ela. Já morreu também, mas ela havia chegado ao fundo do poço. Lamentável dizer isso, mas ali não tinha jeito.

No caso de Coleman, ele tentava. Não conseguia, mas se recusava a deixar que coisas ruins levassem o melhor dele. É por isso que, mesmo “conhecendo-o” por pouco tempo, eu o admirava.

Sua morte, espero eu, será sentida.





Recomende-me leituras, PORRA!

21 05 2010

Com a correria do trabalho, nem me lembro mais quando foi a última vez que parei para ler alguma coisa de livre e espontânea vontade…nem mesmo as Rolling Stone, que compro mensalmente, religiosamente, eu consigo ler (as capas de Pedro Bial, Claudia Leite, Jimmy Hendrix e Black Eyed Peas ainda estão na minha estante, fechadas).

Pensando nisso, decidi passar a bola para você, leitor: recomende-me uma leitura. Qualquer uma, ou várias. Qualquer assunto. Entretenimento, tecnologia, internet – qualquer coisa eu tô aceitando. Você acha um blog interessante? Divulgue-o para mim, sim (N.E. se você divulgar o SEU blog ou me vier com coisa de games, desejarei arduamente a sua morte). Quero coisas que vocês lêem…que você param, olham e dizem “Putz, interessante…”.

Use o espaço dos comentários, sim?





Esse cara manja!!!!

17 05 2010

Conforme visto em Uncoached.com





Quatro motivos pelo qual não irei à Virada Cultural

27 04 2010

Antes que venham com crucifixo, pedras e flechas empunhadas na minha direção, fica o aviso: o post que segue no link abaixo é altamente opinativo, muito mais relacionado ao gosto pessoal do que propriamente uma vertente, tendência ou discussão idiota que comumente levanto por aqui (é, elas são idiotas).

Logo, se você tem algum aparato ou argumento sobre como estou “errado” ou como “quero aparecer” ou ainda que “te devo dinheiro”, por gentileza, enfia…

Continue lendo »